Soneto do Último Dia


Último poema da Heptalogia de Novembro, composto ontem à tarde:

Soneto do Último Dia

 Estranho domingo.
Repouso compulsório.
Artificioso paraíso.

Tumba da inteligência ,
Insulso purgatório
Do humor vívido, 

Único abrigo,à gente alquebrada,
Dos implacáveis furacões
Da lida besta, insana,
Também és tédio, riso amarelado.

E o teu proveito maior seja, talvez,
O agitado torpor da cervejada,
Um modorrento passeio, a sesta morna,
Em um perdido quintal,na tarde embandeirada!

Gravataí, 3 de novembro de 2012

Ubirajara Passos

Anúncios

Um comentário em “Soneto do Último Dia

  1. Ary disse:

    Pelo jeito Bira é fruto da seguinte cruza: Reinaldo Azevedo (mãe) e Marcelo Tass (pai); neto de Augusto Nunes e de Miriam leitão.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s