O “valor” de um blog “vermelho”


Na semana passada o alemão Valdir, que possui bastante tempo, e um saco enorme, para ficar fuçando todos os escaninhos da internet, me deu a informação de que havia achado em um site yankee a avaliação do valor “comercial” do blog do Movimento Indignação, no qual nos dedicamos a bater forte nas injustiças patronais do Poder Judiciário do Rio Grande do Sul e na conivência pelega da diretoria petista do Sindjus-RS.

E, pasmem(!), com toda a pauleira e qualificação técnica, política e corporativa do blog, segundo os irmãos do norte, ele não vale mais que reles R$ 434,88!

É bem verdade que não é um blog de enorme tráfego. Em geral a média de visitantes diários é de uns 100 a 300 por dia e só em ocasiões muito especiais (quando pipoca uma polêmica salarial ou funcional qualquer, ou há uma assembléia geral ou reunião no sindicato) tem batido alguns recordes de mais de 1.000 visitantes ao dia. Mas imaginávamos, pela variedade e profundidade das questões debatidas e das notícias veiculadas (que não ficam só no mundo corporativo dos servidores, passando pelo Judiciário do país em geral, assim como pela política nacional eventualmente) deveria valer alguma coisa bem mais apreciável no “mercado virtual”.

Não é que estejamos preocupados em vendê-lo, arrendar direitos, vender espaço para anúncios, ou qualquer outra falcatrua burguesa clássica. Mas nos decepcionamos com a “avaliação” feita por um deste sites de “ranqueamento” de blogs e sites. Quem sabe por seu conteúdo ser excessivamente “vermelho” e revolucionário, tenha sido cotado por tão pouco (afinal imperialista yankee não é burro, não vai “valorizar” justamente o pior inimigo)?

Seja como for, nos consolamos com o fato de poder, com as ralas centenas de reais avaliadas  (que constituem uns 20 dias de trabalho de um pobre peão brasileiro remunerado pelo salário mínimo de fome canina que nos propicia o Inácio dos Nove Dedos) tomar algumas cervejas. Não as populares Skol, Brahma, ou a nossa preferida (e de meio Rio Grande do Sul) Polar, mas umas daquelas importadas da Puta que Pariu, em qualquer recanto nórdico europeu, que devem ser sorvidas por deputado gagá em cabaré de rico (os parlamentares estaduais do Rio Grande do Sul, ontem, por exemplo, deram um jeito de “reajustar” seus salários em 70%, que ele estava muito defasado – uns 20 mil reais – coitadinhos!).

O detalhe é que concluímos, depois de extenso debate, que, mesmo que pudéssemos ingerir as tais garrafas de suco de cevada, nem assim ficaríamos mais tontos e embriagados do que ficamos ao escrever no blog do Indignação. Não há, efetivamente, dinheiro que pague o prazer de berrar bem alto e claramente na internet contra precariedade da vida de uma classe de trabalhadores reduzida infelizmente a gado (como o funcionalismo público em geral), sem a garantia da menor dignidade como gente, dadas as suas condições salariais e funcionais. E, de quebra, ainda deitar o sarrafo na burguesia em geral.

Aliás, pelo que imaginamos, a tontura não é só nossa. É muito maior, com a nossa metralhadora verbal, a tontura que damos nelles (especialmente nos pelegos diretores sindicais).

Ubirajara Passos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s