A BÍBLIA DO PERUCA: Os primeiros milagres de Jesus Peruca


Nada se sabe da vida de Jesus Peruca até os trinta anos. Consta somente que aos doze anos de idade, em pleno florescer do tesão asnífero, desgarrou-se de sua manada, isto é, de Maria e José Peruca. E foi encontrado pelos pais na sacristia do templo, discutindo com uns sacerdotes pedófilos falcatruas por causa de dez moedas de cobre que lhe haviam prometido para praticar o coito sagrado no quartinho escuro, no fundo da sinagoga, e não lhe tinham sido pagas. Apesar de ter se desempenhado com uma competência “animal”, ainda que meio desastrada, na hora do gozo, entre relinchos, deus uns coices para trás que atingiram os cornos do sacristão voyeur, o tio  Zecaius Petrinus, gerando uma confusão que teria sido o pretexto para não pagar  seus serviços e para a ameaça de morte sobre Jesus Peruca

A sagrada família Peruca, perseguida pela ira de Zecaius, teve então de se esconder pelos mocambos de Passo da Petraléia até que ele morresse, e o caso, e a condenação privada, caissem no esquecimento, o que só veio a ocorrer 18 anos depois do sucedido. Segundo alguns evangelistas perucas, errando de buteco em buteco, disfarçado de servente de obra (seu pai José Peruca, era pedreiro, muito embora haja quem diga que o máximo que atinava era preparar a “caixa de madeira” para abrigar as vigas de concreto), até a idade madura Jesus Peruca era completamente virgem de trago e de mulheres.

E foi assim que, tendo ido a uma festa de aniversário de quinze anos, acompanhado de sua mãe, para não se perder, Jesus Peruca, já trintão, foi por ela instado a fazer o milagre de transformar água em vinho, pois a santa senhora já estava com o saco cheio daquela festinha monótona, toda certinha, com dança de valsa e olho de sogra, mas sem nenhuma orgia daquelas boas que costumava praticar, quando novinha, com o espírito santo peruca, que lhe havia ensinado os bons méritos do fermentado de uva. Mas, apesar de Jesus, era Peruca, e, ao invés de pedir que os garçons lhe trouxessem jarros de argila com água, solicitou uns baldes de estanho. E o resultado é que a água se transformou em vinagre.

E Jesus Peruca e sua mãe saíram corridos, a pauladas e pedradas, da festa pelos convidados.

Convencido de que a culpa era da velha, Jesus Peruca se meteu no deserto da “Várzea” por quarenta noites e quarenta dias, a beber cachaça, e lá o Diabo Nandínius Tambôris Andarolas lhe apareceu e ficou lhe tentando a puxar com ele um fuminho daquele estranho cigarro do capeta, com o que Jesus Peruca, teimoso como uma mula divina, não concordou, saindo, entretanto, do deserto, pelado e pulando como um cabrito doido, realmente completamente louco, e convencido de que poderia fazer tudo quanto é milagre, depois dos quarenta dias de puro trago, piorados pelas perguntas idiotas do Diabo Andarolas, que não lhe deixava em paz um minuto sequer e ficava perguntado, sem parar, com voz xaroposa: “Mas escuta aqui, é verdade que tu comeu o cu do sacerdote por deizinhos? Por que não cobrou mais? Por que não quer fumar o meu cigarro? Tem medo de se engasgar com a fumaça ou de ‘viajar’ pro inferno e encontrar o defunto traveco do Zecaius? Posso saber por que tu sempre acorda atrasado, depois que o galo já cantou três vezes, todo dia, no deserto? Como você pode me mandar ao ‘diabo que o carregue’ se eu sou o próprio demônio? Quem vai me carregar, meu senhor?”



O MESSIAS PERUCA



Foi então, na euforia de pretenso santo milagreiro, que Jesus Peruca, encontrou, na saída do deserto, um pobre cego, que não podendo ver a bizarra figura saltitante, acreditou nele e pediu que lhe abrisse a vista. E após imprecar por Deus Peruca, Jesus Peruca gritou histérico: “Meu filho! Se tens fé realmente em mim e não me renegas por que ‘me vês’ assim como estou, estás curado, mas se assim não for não ouças mais nada porque o tinhoso tomou  teu coração!”

E o pobre homem, que não podia enxergar era porra nenhuma (pois era cego de nascença), acabou surdo!

Depois de encontrar um velho de trejeitos estranhos que lhe cedeu um pelego de ovelha usado pra vestir-se (dizem as más línguas porque Jesus Peruca lhe deu uma demonstração do ritual juvenil naquele templo…), Jesus Peruca encontrou um bando de leprosos, uns dez por aí, e, vaidoso de suas habilidades milagreiras, lançou sobre eles suas bençãos para curá-los, e se foi a trote, porque o espírito santo lhe soprou ao ouvido que sua mãe estava tendo um ataque histérico lá na Petraléia, e ameaçava matar-se se o tonto filho de Deus Peruca não voltasse para ela.

Tendo consolado a velha e voltado pelo mesmo caminho, eis que vinha ao seu encontro, rastejando, para lhe “agradecer” – pensou logo o vaidoso Jesus Peruca – um dos dez leprosos.

E o Messias Peruca, todo empertigado, chamou o homem e lhe disse: “Eu sabia que ‘apenas um’ retornaria para agradecer-me! Levanta-te, irmão! Não é necessário rastejar-te aos meus pés, pois foi Deus Peruca que curou-te!”

E o leproso, mordendo-se de raiva para não proferir os piores palavrões, disparou sobre Jesus Peruca: “Só eu retornei, seu filho de uma virgem amante de espírito santo, pois fui o único que sobrevivi! E estou rastejando porque você me deixou paraplégico, seu desgraçado!”

Ubirajara Passos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s