Um flagrante “do capeta”


 Durante o estágio do Nandinho Andarola na Delegacia Regional do Trabalho em Cuiabá, capital do Mato Grosso,  era comum avistar o rapaz nos intervalos (concedidos para fumar seu “cigarro” e fazer um lanche), enrolando um papel de seda sobre um tipo de erva estranha, e voltar para o serviço mais doido que o Dente Hugo em dia em que seu avô Ramón recebe a aposentadoria.

Um belo dia ele e seu colega Maiki Mouse, inveterado apreciador da mesma misteriosa substância, estavam escondidos no banheiro da repartição, fumando o cigarrinho do capeta, quando um dos guardas ouviu estranhos barulhos e foi averiguar, pensando que poderia talvez rir bastante ao encontrar o Peruca, tendo relação sexual com alguma faxineira ou ganhando seus “dezinhos” ou coisas do tipo.

Mas a surpresa foi completamente inédita. Martinhu du Pó, amigo de farra da dupla, e também fornecedor de sua principal diversão, havia se confundido e vendido Haxixe aos pobres maconheiros, que desconheciam o seu grau de THC , e os correspondentes efeitos. E, ao entrar no banheiro, o vigilante deparou com os dois rapazes completamente nus. O Nandinho de quatro tomando água da privada e latindo. Enquanto o Maiki Mouse pulava pra lá e pra cá, por cima de uma “fogueira de São João” que havia feito com uma pilha de processos que deveriam ser entregues à chefe do DRT, a tarada e desastrada Paraguaçu. A bizarra cena embalada ao som de “Charuto me Roubou”, obra prima do cantor “Dente Hugo”, que estava sendo tocada em alto e bom som no celular de um deles.

O segurança, pra variar metido a  macho, apavarou-se tanto  que chamou a polícia militar para conter a dupla. Que  foi presa e conduzida à delegacia exatamente no estado em que estava.

O delegado, um insuportável nanico conhecido pelo apelido de Doutor Carioca, casualmente gaúcho, estava de bom-humor naquele dia e resolveu dar uma aliviada na situação do dois malucos, propondo:

– Vocês parecem ser boa gente. Vou lhes dar uma segunda chance!  Ao invés de irem pra cadeia, vocês terão que mostrar para as pessoas os terríveis males das drogas e convencê-las a largá-las!  Compareçam aqui em  uma semana, e me relatem quantos tontos, isto é, quantos cidadãos vocês convenceram, que eu mando arquivar o inquérito!

Na semana seguinte os dois voltaram e o “doutor Carioca” perguntou primeiro para Maiki Mouse:

– Como foi sua semana, rapaz?

– Bem, doutor delegado, eu convenci 17 pessoas a pararem de consumir drogas para sempre!

-17 pessoas? – disse o delegado, satisfeito – Que maravilha. O que você disse para elas?

– Eu usei um diagrama, meritíssimo. Desenhei 2 círculos como estes:
O o

Aí apontei pro círculo maior e disse: “Este é o seu cérebro em tamanho normal…”  e, apontando pro menor: “E este é o seu cérebro depois das drogas!”

“Muito bem!” – aplaudiu o delegado “Carioca” , virando-se imediatamente para o Nandinho e dizendo:  “E você? Como foi sua semana?”

– Eu convenci 234 pessoas, doutor!

– 234 pessoas? – exclamou o delegado, pulando da cadeira – Incrível! Como você conseguiu isso?

– Utilizei um método parecido com o do meu colega. Desenhei 2 círculos como estes:
o O
– Mas eu apontei para o círculo menor e disse: – Este é seu cu antes da prisão…

Ubirajara Passos

Anúncios

Um comentário em “Um flagrante “do capeta”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s