O FLAGRANTE DE TIRADENTES


O Peruca dormita sobre a mesa, a boca (costumeiramente) aberta, um fio de baba a lhe escorrer do queixo, quando o telefone lhe dá um sobressalto! Despertado de seus devaneios com uma torta de chocolate gigante, se empertiga todo e, com voz grossa e decidida, fala a saudação padrão: “Foro, boa tarde”. Do outro lado da linha, uma voz nervosa solicita a consulta, ao cadastro informatizado, de um réu preso em flagrante. Não sem antes afirmar, aos gritos, que o “meliante” é inocente, se fez algo de errado é que foi iludido, vive a correr a madrugada cheio de más companhias…

O Peruca, nada sutil, nem pensa em acalmar a mulher em faniquitos: “minha senhora, isto aqui não é balcão do INSS, fala duma vez o nome do réu, que tenho mais o que fazer! As pilhas de processos tem quilômetros de altura e se eu parar um minuto, estou perdido!”. A mulher, transformada de ovelha apavorada em onça doida, avança sobre o Peruca (se pudesse enfiava o punho, através da linha, na cara dele): “O senhor me respeite! Não é porque sou pobre que pode me tratar assim! Sou eu quem paga o seu salário! O senhor é doutor, mas também tem que ser educado! Bem que o meu marido me avisou: cuidado com esta gente da justiça, são todos lacaios dos ricos! Pobre, neste país, só serve mesmo é pra pagar impostos!”

Impaciente, e mais acordado do que nunca, o Peruca, nocauteado pela metralhadora de impropérios, pergunta:

– Qual é o nome do réu, afinal, minha senhora?

– Joaquim José da Silva Xavier!

– Hã? Não entendi direito, este seu sotaque… a senhora podia falar mais de vagar?

– O senhor não se faça de bobo. Que negócio é esse de sotaque? Se o senhor é tão burro que não entende “brasileiro”, vou lhe soletrar o nome: Jo-a-quim Jo-sé da Sil-va Xa-vi-er… entendeu?

Depois de uns dez minutos pesquisando, o Peruca dispara:

– Minha senhora, não consta nada no sistema. A senhora tem certeza que a polícia já nos entregou o flagrante?

– Mas é uma barbaridade a incompetência. Como que o senhor não sabe? Falei agora mesmo com a Delegacia e eles me disseram que entregaram os papéis aí, de manhã cedo. É daquele caso de Minas… o Joaquinzinho, coitado, quando soube que tinham prendido seus amigos boêmios, vazou pra Porto Alegre. Mas aí perto, nessa tal “Cravataí”, foi garfeado pelos home! Deu até no jornal. Como é que o senhor não sabe? Consulta aí de novo, moço!

– Não ouvi falar de Joaquim nenhum! (virando-se para o lado, me pergunta): Ô Bira, tu tá sabendo de alguma prisão dum ladrão mineiro, um tal de Joaquim?

Mais dez minutos, pesquisa de tudo quanto é tipo (Joaquim com “n”, sem e com acento, Xavier com “ch” e etc.), e o Peruca vai encerrando a ligação:

– Olha aqui, minha senhora, no Foro não chegou nada, deve tá ainda com a polícia, a senhora fale com o delegado e boa tarde!

Mas, antes que o peruca desligue, a “mocréia” responde:

-Seu mal-criado, além de burro é arrogante! Garanto que trocou Joaquim José por José Joaquim. Não tem problema, deixa que eu vou me queixar pra “corregedoiria”! – E bate o telefone na cara do Peruca.

O nosso esperto estagiário, tremendo mais que pingunço em forçada abstinência, gagueja para mim:

-Ô Bira, tu acha que eu fui mal educado? Esta mulher é louca! – E conta toda história umas três vezes, enrolado e nervoso.

– Mas afinal, qual era mesmo o nome do vagabundo?

– Sei lá, um tal de José Joaquim, Joaquim José da Silva Xavier! Diz que é perigoso bandido mineiro!

– E é: tu acabaste de consultar o flagrante de Tiradentes!

Os gaiatos do cartório despencam na gargalhada e o Peruca, apatetado e ainda preocupado com a ameaça, meio brabo (que ele pode se ferrar por causa desta doida), grita: “seus filhos da puta, do que vocês tão rindo?!”

Ubirajara Passos

Anúncios

3 comentários em “O FLAGRANTE DE TIRADENTES

  1. Em 10.12.06, às 02:36:44, Valdir Bergmann disse :
    O quê? Um Tiradentes de Minas em Gravataí? Isso é perigoso! Já imaginaste, Bira, se o Aécio sofrer dos dentes e vier atrás do homem? Mais um tucano de bico grande por aqui? Diz para o Peruca prender esse Joaquim-dos-Dentes e enviar já a Minas, direto no trem das onze.

    Curtir

  2. Rodrigo Leão disse:

    Eita, até por essas bandas tão prendendo os caras errados enquanto que os verdadeiros criminosos se reúnem no quartel-gerenal de Brasília?

    Curtir

  3. natalia disse:

    muito obrigado por te me ajudado no meu trabalho

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s