TENDINITE DE PUNHETEIRO


Não é nenhuma novidade que a opressão capitalista não se restringe à exploração econômica e aos limites específicos que impõe ao nosso comportamento e psicologia, atingindo mesmo o âmago de nossos corpos.

Além das óbvias conseqüências sobre um corpo mal-nutrido (no caso da ampla maioria, cujos salários mal permitem se manter em pé e continuar servindo ao fofo “patrão” – versão anônima e distante do senhor de escravos) e das neuroses que nos acometem (ao menos aos peões que ainda conservam um mínimo de inconformismo), o próprio ato diário do trabalho é responsável direto pelas mais diversas doenças.

É enorme a multidão de trabalhadores cuja maior doença é o próprio trabalho. O que ocorre mesmo em setores mais “intelectualizados” como o serviço público. O Judiciário gaúcho, por exemplo, é uma verdadeira fábrica de loucos (não há comarca onde não se encontre pelo menos uma meia dúzia de depressivos constatados e em tratamento, fora os que não se vêem como tais e não procuram médico) e de doenças “profissionais” como LER (Lesão por Esforço Repetitivo) e DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho).

Mas o que eu não conhecia ainda, embora supusesse a existência em algum remoto manicômio ou ilha perdida habitada por náufrago, é a LPR (Lesão por Punheta Repetitiva)! Um amigo meu de longa data narra, hoje, em seu blog que, de tanto bater punheta, acabou com o punho “fudido” – de tal maneira que teve de colocar uma tala no pulso, que dói “pra caralho” toda vez que pretende punhetear. Deixei um comentário lhe sugerindo que use a outra mão, mas a verdade é que se trata de um típico caso de tendinite resultante de “esforço repetitivo” – especificamente punheta “pra todo lado”, como narra o infeliz.

Esta nossa sociedade autoritária (cujo autoritarismo, amplamente introjetado na maioria das mentes, é a condição necessária para o exercício da submissão da peonada braçal ou intelectual aos “proprietários” privados) não só impõe limites e distorções comportamentais e emocionais à própria prática do sexo (como já escrevi em alguns “Sermões na Igreja de Satanás”), mas chega ao ponto de criar doenças “físicas” decorrentes dela.

O sujeito que chega a bater tanta punheta a ponto de ficar com tendinite é doido ou preso, recolhido à solitária da cadeia ou do hospício, ou é um masturbador obsessivo-compulsivo (louco manso solto), ou é vítima da “política sexual” da sociedade capitalista e autoritária vigente.

Como o meu camarada não anda por aí levando a mão ao beiço e fazendo “brrrrrrrurummm”, nem tem o costume de bater carteira alheia (até vive de renda, uns aluguéis de apartamentos que possui lá na Bahia), só lhe resta as duas últimas hipóteses. Obsessivo-compulsivo o cara até que é, mas por mulher de carne e osso e não pela simples fantasia que conduz a mão. Várias vezes percorremos uns quantos cabarés, na madrugada, a cata da coisa mais linda e gostosa que existe na Terra. Logo é, portanto, mais uma vítima do nefasto sistema.

Além da tradicional exigência de grana (no caso das mercenárias que abandonam o prazer em troca do carro do ano e do anel de diamantes), a prática sexual e amorosa da maioria das fêmeas humanas está tão condicionada a exigências, padrões e estereótipos típicos da sociedade autoritária e competitiva que o que vale não é a empatia, nem o tesão imediato que lhe desperte o macho ao lado.

Para privar da cama delas se impõe que o macho da espécie encarne o poder, o dinheiro (que é o poder que se guarda na carteira) ou a força física e a beleza próprias de um campeão olímpico ou ator da TV Globo. Qualquer atributo inferior ou diferente disto, ainda que o tipo seja bonitinho, até bem-humorado e bem falante, ou mesmo um daqueles românticos de novela medieval, é dispensa na certa. E se o sujeito for um dançarino inábil ou não se sujeitar ao jogo de aproximações e desafios amorosos ditados pela dissimulação de sentimentos, aí está completamente fudido.

Ou vai às putas (ou as chama em casa, como é o caso do meu amigo), ou só lhe resta mesmo a punheta. Caso em que, se tiver um tesão de doido tarado, o resultado é a tendinite. Isto sem falar nos possíveis calos na palma da mão, o que o igualaria a um trabalhador braçal da roça. A única diferença é o tamanho do cabo da enxada… e da “mandioca” , que, não pertencendo ao agricultor, ao menos está toda “enterrada” no solo.

Ubirajara Passos

Anúncios

5 comentários em “TENDINITE DE PUNHETEIRO

  1. Em 23.11.06, às 07:05:56, xupaxota disse :
    Companheiríssimo Bira, só tu pra me fazer dar umas boas risadas. LPR? Nessa eu não tinha pensado… Mas o fato companheiro, é que a grana tá curta e o sistema cada vez mais voraz. Já fazem uns dois meses que não vejo a minha putinha particular, então só me resta a punheta. O foda é que ela está agora comprometida por causa da LPR. Será que tu, como amigo que és, não te dignaria a me ajudar, já que meu pulso ainda pulsa, mas não punheteia? Receba do teu amigo um longo abraço por trás.

    Curtir

  2. Em 17.11.06, às 14:48:54, jorge correa dantas disse :
    SALVE SR.UPASSOS,O PROFISSIONAL DA PUNHETA TEM QUE PROCESSAR O MINISTERIO DA SAUDE AS REVISTAS PLAYBOYS DA VIDA E OUTRAS MAIS. AGORA O TEMA SEXUALIDADE AINDA E DE FORO INTIMO APESAR ESCRITOS COERENTES SOBRE O ASSUNTO. FALTA DEMATES SOBRE O ASSUNTO, FALTA PRATICAR SEXO MAIS LIVRE SEM SE PREUCUPAR COM O DIA DE AMANHA. SOBRE MASTURBAÇÃO MANUAL, 5 CONTRA UM, PUNHETA PROPRIAMENTE DITA, E REALMENTO O RECURSO DE MILHOES DE SERES HUMANO DESTE PLANETA DE EXTRAVAZAR O SUA TENSÃO. EU PARTICULARMENTE NÃO SEI QUANTAS MIL PUNHETAS DEVO TER BATIDO NESTA VIDA, QUANDO FODO COM UMA MULHER, UMA FODA GOSTOSA PARA AMBOS, NÃO IMPOSIBILIDADE DE NOVAS FODAS IMEDIATAMENTE POIS O CAPITALISMO NOS NEGA ESTE DIREITO, O RECURSO E A PUNHETA SIM AS LEMBRAÇAS DE MOMENTOS GOSTOSOS VIVIDOS. MAS NÃO PODEMOS FICAR BATENDO PUNHETA A VIDA TODA DE VEZ EM QUANDO TEMOS QUE ARRUMAR BRECHAS POIS SEM DUVIDA NENHUMA, A PRATICA DA SEXUALIDADE TEM QUER SER EXERCITADA PELOS HUMANOS, ASSIM COMO TEMOS A NESSECIDADE DE BEBER AGUA. A GENTE NAO QUER SO COMIDA, A GENTE QUER COMER E FAZER SEXO PRA ALIVIAR A DOR. A

    Curtir

  3. Gabriel disse:

    Simplesmente d+.
    Texto inteligentíssimo.

    Abraço!

    Curtir

  4. Clarissa disse:

    Adorei o seu blog muito dez!!! Está de parabéns! Muito interessante!
    ah se puder acesse meu site também da nossa clínica de psicoterapia e terapias alternativas!
    http://www.haraterapias.com.br/inicio.html

    grande abraço,
    Clarissa

    Curtir

  5. Junior disse:

    A gente, não existe problema nenhum nisso, me apresenta quem está com tendinite, que eu ajudo, prometo tocar todas as punhetas que ele quiser. E muito mais. rsrsrsrs Sacanagem. Blog muito legal. Tenho tendinite mais não é por isso que eu deixarei de tocar.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s